Treinamentos na medida certa

Muitos novatos na profissão e outros nem tanto me perguntam como estruturar um treino na maior parte das vezes relacionado a corrida ou treinamento funcional.

Digo que é simples e não tem segredo pois é somente encaixar o treino certo para o aluno dentro do seu momento físico, focando no seu objetivo.

E digo mais: basta respeitar os Princípios do Treinamento Desportivo – matéria mais que obrigatória no período de estudos na faculdade.

Percebo que todos querem a receita mágica, que não existe – inclusive em congressos aos quais participo como ouvinte ou congressista – os profissionais querem este “pulo do gato” em busca da evolução do ser que se move.

O segredo, prossigo, é estar sempre atualizado por mais difícil e árduo que seja.

leitura é um ponto fundamental. Também saber que cada caso é um caso – olha a Individualidade Biológica aí – que para qualquer modalidade, não importando qual, sempre tem que ser do mais fácil para o mais difícil – Princípio da Sobrecarga.

Bem, digo que até bem pouco tempo, o bom professor era aquele em que o aluno ao acabar um treino – corrida, musculação, outros – ia para casa e ficava uns três dias com dores absurdas pelo corpo, onde ainda dizia: “o professor é muito bom, forçou bastante, me deixou com muita dores”.

Hoje, sabemos, que este profissional passou do ponto causando inúmeros estragos no seu aluno – derrames capilares, destruição de fibras acima do limite… – e ainda para piorar com a péssima experiência proporcionada, o levou a ter emoções ruins, fato este que afasta muita gente da rotina do exercício físico, abrindo mão dos seus benefícios.

Aquela frase clássica, “no pain, no gain”, vale para os atletas de performance, de alto nível, para os profissionais de elite que vivem para isto e mesmo assim, em algumas fases do treinamento, onde não cabe no dia-a-dia das pessoas ditas normais – trabalho, filhos, família, comes/bebes – passar por isto.

O mais importante nisto tudo é ter e mostrar para o seu aluno, segurança no que se está propondo, subsídios e o porquê de estar fazendo aquilo.

Mostrar que a Continuidade é fundamental para se alcançar bons resultados. Que ninguém consegue adquirir os efeitos do treinamento de um dia para o outro.

Então, vamos com calma, muita calma.

Leiam, releiam e não se deixem levar pelo aluno/atleta, que muitas vezes quer impor a sua vontade que é apenas a sua vontade e que difere do que foi planejado, do que é certo para aquele momento pensando num âmbito macro do seu treinamento.

“Eu sou eu e minha circunstância” é a conhecida sentença de Ortega y Gasset, daí, este é o meu pensamento.

Bons treinos, leituras e emoções!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.