Tendinite de Calcâneo : o que é e como tratar

A tendinite do calcâneo, ou de Aquiles,

é uma das 7 principais lesões causadas no corredor.

Se dá tipicamente por esforço repetitivo e, normalmente,

origina-se com o aumento repentino da atividade esportiva,

calçados de má qualidade ou treino em piso inadequado.

A tendinite Calcâneo, é caracterizada por um desconforto gradual generalizado

que aparece de manhã, antes do treino e/ou após uma corrida;

e ainda por uma dor localizada acima do calcanhar

e abaixo da panturrilha principalmente na hora de subir ou descer escadas.

calcaneo

Em casos mais graves, o que ocorre normalmente

quando está associada à falta de tratamento,

podem levar a grande limitação de movimentos, com dor mesmo em repouso.

Essa dor é gerada por rupturas das fibras de colágeno

que formam o tecido do tendão calcâneo, que é pobre em vascularização.

Essas pequenas lesões, associadas ao excesso de esforço,

podem provocar uma inflamação nesse tendão.

Se você desprezar a causa e continuar a correr, o dano pode ser tão sério

que essas fibras poderão se romper, levando à uma ruptura parcial ou total do tendão,

levando até à um tratamento cirúrgico em alguns casos.

Medidas preventivas simples: escolher o calçado e o piso adequado para o treino,

e não exagerar na intensidade dos exercícios.

Tratamento: Quanto mais rápido forem tomada as providências,

mais rápido e simples será a cura.

Repouso relativo/ Afastamento temporário das atividades físicas:

Deixar com que o tendão não tenha nenhuma sobrecarga.

Uso de antiinflamatórios e analgésicos: indicados por um médico ortopedista.

Aplicação de gelo no local por 20 minutos, de três a quatro vezes ao dia:

o gelo reduz a inflamação e leva sangue à área, facilitando a recuperação.

Alongamentos da região de panturrilha:

a panturrilha rígida é uma das causas da contratura excessiva do tendão.

Fisioterapia nos casos mais avançados: massagens, eletroterapia, e bandagens

O tempo de cura para essa patologia, varia de uma semana,

se logo percebido à mais ou menos 2 meses nos casos mais graves.

Bons treinos !

Fonte : texto escrito pela fisioterapeuta Paula Cipola

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.