Sensação de “bode” pós prova

Se você faz esporte de longa distância há um tempo, dois, três anos ou mais, certamente já desejou ter uma fórmula mágica para manter-se treinando. Você encontrou a sua ? Acreditando que compartilhando temos mais chances de encontrar um caminho, vou compartilhar o que vivenciei nestes meus 12, 13 anos de Endurance.

Você começa a praticar esporte de longa distância, começa a sentir os prazeres de conquistar mais e mais km.

Encanta-se com os próprios feitos que jamais pensou alcançar: correr 30k ? Pedalar por 4h ? E ainda ser capaz de andar e respirar ?

Inimaginável ! Você almeja fazer uma prova, aquela que sempre rondou a sua mente ! Treina pra ela cuidando de todos os detalhes. Faz a prova. Emoção impagável. Tem a certeza de que nasceu pra isso.

Na semana seguinte, vem a clássica depressão pós-prova. Você estuda o tema e aguarda ansiosamente que a depressão passe. Enquanto isso, aproveita as “férias” e faz outras coisas, come tudo o que se privou, encosta a bike. Passadas umas semanas, você começa a querer voltar a treinar, já encheu o saco da esbórnia. E, cheio de gás, começa a querer retomar a rotina. Eis o início do seu primeiro inferno com o esporte. Parabéns !

Você volta a correr e acha horrível. Não consegue saber como é que você pode destreinar tanto. Começa a amaldiçoar as férias que teve. Não entende como um dia você mesmo foi capaz de ficar 4h na bike se agora qualquer 30′ já acabam com a sua paciência. Tudo é um saco. É difícil acordar, horrível correr, chato nadar, impensável lidar com tanta tralha do pedal. Você não se reconhece. Não entende como foi que um dia fez o que fez.

solidao

Numa busca desenfreada pela explicação, entra no conflito existencial: será que eu sou o da esbórnia ou o da disciplina ? Acha que estava neurótico demais, chato demais, Caxias demais. Mas no fundo pensa que tudo o que gostaria de estar naquele momento é como estava antes de entrar nestas “férias”. Fase chata. Tenta largar o esporte. Não consegue. Tenta voltar. Acha horroroso. CRISE.

Vou introduzir outro tema. Acho que conseguirei linkar mais à frente! Hehehe… Por que é que você faz esporte de endurance? Do que gosta realmente? Gosta de competir? Gosta de velocidade? Gosta de treinar pra morte? Gosta de lidar com você mesmo, dos treinos solitários? Gosta de passar horas perambulando por aí? Gosta dos equipamentos? Gosta de estudar as modalidades e as técnicas? Gosta do contato com a natureza? Gosta da rotina de treinos? Se você fosse responder de bate-pronto o que mais gosta no esporte, o que diria?

1) Sou fascinado por competir

2) Minha paixão é lidar com a solidão

3) Gosto do contato com a natureza

4) Curto os equipamentos e técnicas

5) Vibro com a melhoria da performance

6) Sinto que cuido da minha saúde

7) Gosto de superar desafios

8) Adoro treinar com a galera

9) Quero descobrir novos locais

10) Curto treinar por treinar

Acho que podemos encontrar uma boa gama de motivos pelos quais as pessoas treinam.

Quem é focado em competição não consegue entender quem gosta de treinar por treinar.

Quem gosta de treinar com a galera não consegue entender como alguém pode gostar de passar horas sozinho.

Sabe o que eu descobri e estou cada vez mais convencida ?

Que temos que ter a melhor capacidade de adaptação ao cenário vigente na nossa vida.

E aqui os assuntos se encontram !!! Vamos lá.

Que chance tem de alguém que é extremamente competitivo tem de se sentir motivadão numa fase em que está trabalhando mais que o normal, com dificuldade de comer corretamente, dormindo pouco, com a rotina atrapalhada ? Vai fazer o que ? Parar de treinar ? Cortar os pulsos ? O que fazer com alguém que adora treinar sozinho numa fase em que não consegue se mover pra fora de casa ? Desistir ? Comer pipoca ?

Eis que chegou a hora da revelação da minha fórmula mágica: use a motivação mais adequada ao momento em que você está.

Não adianta dar murro em ponta de faca!

Se você adora ter contato com a natureza, mas está sendo forçado a fazer treinos indoor, que tal encontrar o prazer de lidar com seus próprios pensamentos ?

Se você é extremamente competitivo, mas está fora de forma ou acima do peso ou destreinado ou sem tempo para treinar ou sem saco para fazer treinos vômito, que tal descobrir o prazer de olhar para o nascer do sol, que você sempre passa sem sequer notar, por passar sempre focado ?

Por experiência própria, insistir na tentativa de buscar sua motivação mais motivadora numa fase inadequada, farão você perder ao invés de ganhar forças.

Busque aumentar seu leque de motivações.

Experimente treinar em equipe se treinar só está chato.

Largue seu Garmin se você está mais lento do que gostaria e isso o faz mal.

Inscreva-se em uma baita prova se isso o fizer sair do marasmo.

Cancele sua prova se ela está fazendo você treinar menos.

Se você fará uma prova e não está tão treinado quanto gostaria, experimente fazer acompanhando um amigo seu iniciante.

Esporte combina com alto-astral, sorriso, bem-estar, prazer, união, conquista, realização, superação, inclusão.

Se está trazendo stress, preocupação, ansiedade, tristeza, mau humor… Há algo muito errado.

Isto não quer dizer que você vai sair da cama às 4h da manhã berrando “Iuuuuuuuuuuuuuuupi! Vou treinar!”, mas se isso está deixando você incomodado, mal, não está bom.

Descubra novos porquês! Aumente seu portfólio de razões para investir tantas horas da vida.

Preserve-se!

Mantenha o seu bem-estar e a sua serenidade.

A sobrevivência e a permanência no esporte tem muito mais relação com a sua capacidade de adaptação à sua realidade que com a quantidade de troféus que você tem na sua estante.

Fonte : texto escrito pela triathleta Aline Carvalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.