Qual é a medida certa dos exercícios ?

A atividade física regular é capaz de elevar o colesterol bom,

baixar os níveis do triglicérides, glicemia (açúcar no sangue),

pressão arterial e dos batimentos cardíacos.

Desta forma, ajuda no controle de doenças comuns

como o diabetes e a hipertensão arterial,

diminuindo também o risco de infarto do miocárdio

e acidente vascular cerebral, bem como de vários tipos de câncer,

doenças que correspondem às maiores causas de mortes no mundo.

Além disto, o exercício ajuda no controle de peso, no aumento da força muscular

e na diminuição da ansiedade, melhorando a qualidade de vida de quem o pratica.

A capacidade física de uma pessoa também

está diretamente relacionada com a sobrevida dela,

isto é, quanto melhor o condicionamento físico,

menor a chance de morte, de todas as causas.

011

Excesso de Exercícios

Bem, diante de todos estes benefícios, por que estamos questionando algo ?

Quando o exercício se torna voltado para o desempenho e visa competições,

pode trazer outras alterações causadas pelo excesso.

E não falamos apenas de atletas profissionais.

A cada dia aumenta o número de atletas amadores que querem realizar grandes desafios,

provas de longa duração, com intervalos curtos de descanso

e em busca sempre de melhores tempos individuais.

Aí devemos ter atenção!

Estudos recentes têm demonstrado que alguns atletas

com muitas horas de treino durante a vida,

ou aqueles que fizeram várias maratonas em um curto intervalo de tempo,

principalmente homens, na faixa de 35 a 60 anos, e na maioria amadores,

têm mais chance de ter algumas arritmias cardíacas

e até outras alterações circulatórias no coração.

Alguns atletas de elite mostraram alterações em exames de sangue

e de imagem do coração realizados logo após o término de maratonas;

os exames se normalizaram após um ou dois dias de descanso.

Outros atletas demoraram a normalizar.

Essa questão polêmica ainda está sem respostas convincentes

por não se saber porquê, quem terá esse problema

e quais suas repercussões à longo prazo.

Identificar quais pessoas teriam uma chance maior

de apresentar tais alterações é um desafio.

Na verdade, ainda temos muito a aprender, mas como em tudo

devemos sempre ser cautelosos com a escolha da dose.

Entretanto, uma coisa é certa: o exercício em quantidade moderada faz muito bem à saúde

e uma competente avaliação da sua condição física antes de iniciá-lo,

diminui muito o risco de problemas futuros.

Fonte : texto escrito pela Dra. Cléa Simone Sabino de Souza Colombo 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *