Flexibilizar Objetivos

Trabalhando com um público heterogêneo, com várias mudanças que a vida nos cerca, vi muitas vezes a necessidade de flexibilizar um objetivo inicial.

Ser exigente, disciplinador, motivador, faz parte da conduta de um bom técnico. Porém, saber administrar com tranquilidade e bom senso, algumas dificuldades naturais que circunda o caminho correto do treinamento adequado, é algo que aprendemos a fazer com a prática de nosso trabalho.

Muitas vezes vi atletas super satisfeitos em completar uma maratona com um tempo de quase 5 horas, e na mesma prova, vi atletas frustrados por não conseguirem ultrapassar seus recordes pessoais.

É claro que as pessoas são diferentes, o nível de exigência de cada um é individualizado , mas o importante é saber como lidamos com todo esse processo.

Se olharmos para trás em nossas vidas, acredito que a maioria das pessoas já se sentiram vitoriosas e derrotadas em muitos momentos.

Pois bem, a vitória é algo inesquecível, fascinante, repleta de boas energias. Mas acredito, que a derrota, é que deixa marcas, traz lembranças doídas, mas traz a sabedoria de não errarmos mais. Aprendemos com nossas derrotas, revemos valores, conquistas, desafios, para nos erguer de novo e partir para outras jornadas.

Se reerguer é bom, dá vontade de abraçar o mundo e ir atrás de seu objetivo. Estar atento ao que esperamos, racionalizar projetos e condutas para que isso ocorra, diferencia os vitoriosos de pessoas que param no meio do processo.

Isso é um perfil psicológico. Ter os pés no chão, conquistar passos gradativamente, faz um alicerce de um belo caminho. Conquistar coisas rápidas e transversais, sem ter uma história nesse processo, aumenta muito a chance de um fim não muito feliz.

Com o treinamento não é diferente. Não adianta acharmos que somos capazes de tudo, que correr uma prova é algo que só depende de nossa vontade. Se fosse assim, acredito que a maioria dos corredores que se aglomeram numa linha de largada, disputariam acirradamente a conquista do primeiro lugar. Junto com a vontade, vem o fator treino, dedicação, bom senso, estratégia, histórico de treinamento, saúde , genética, aspecto emocional, e prncipalmente, confiança ....

A confiança é a união de todos esses fatores somados na busca daquilo que se determinou conseguir.

Quando se sentimos inseguros, existe algum fator que gera essa desconfiança.

Trabalhar com esse fator, ter atletas conscientes daquilo que realmente podem esperar numa determinada competição, é o que procuramos fazer. Através de um feedback contínuo, uma boa interação entre treinador e treinado, se obtém o caminho da lógica do resultado.

Por isso, quando precisamos flexibilizar objetivos, dar mais tempo para algo acontecer, ou mesmo " andar para trás para conseguirmos chegar mais longe no futuro ", fazemos com a tranquilidade de estarmos orientando nosso atleta para seu melhor caminho, pois a grande essência desse procedimento vem através da confiança adquirida em nosso processo de trabalho.

Fonte : Técnico Luiz Fernando Bernardi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *