Excessos Alimentares, o que fazer com eles ?

Quase sempre que erramos na nossa alimentação aparece um sentimento de culpa e um desejo de tentar compensar o erro.

Quando o erro não é um erro e sim um período de erro (como por exemplo, exageros no final de semana), esse desejo é quase incontrolável e dai cometemos o próximo erro: reduzimos drasticamente o que comemos.

Nosso corpo é uma máquina fantástica e com mecanismos de funcionamento e proteção que são incríveis.

Porém, às vezes, parece que nos esquecemos disso.

Nossa necessidade de energia é constante pois estamos, o tempo todo, gastando energia.

Gastamos energia para respirar, para comer (e para absorver o que comemos), para realizar atividades físicas, para pensar, para ler um livro, para dormir. Até para assistir televisão nós gastamos energia (pouca, mas gastamos).

Exatamente por isso temos várias maneiras para obter energia e nunca usamos exclusivamente uma fonte.

Nós nunca utilizamos carboidratos OU gordura como fonte de energia, sempre utilizamos carboidratos E gordura como fonte de energia.

Temos três maneiras de conseguir carboidratos: na alimentação, nas reservas de glicogênio e através da quebra de massa muscular para “construir” carboidratos.

Esse último processo, conhecido como neoglicogênese, resulta em perda de massa muscular, redução do gasto energético basal e aumento da produção de hormônios que dão sensação de fome.

Ele só acontece depois que utilizamos todo o carboidrato que comemos ou toda nossa reserva de glicogênio (o que ocorre em cerca de 3 a 4 horas sem ingerir carboidratos, por isso a recomendação de comer a cada 3 horas).

Após grandes períodos de excessos alimentares, a energia que foi absorvida e “sobrou” vai ser guardada como gordura.

Apesar de aumentar nossa reserva de gordura, isso não significa que o corpo vai reduzir o que usa de carboidrato para passar a usar mais gordura.

Ou seja, a necessidade da ingestão de carboidratos vai continuar sendo a mesma.

Caso optemos por não dar esses carboidratos para o nosso corpo, ele irá se encarregar de consegui-los de alguma outra maneira. E, em um determinado momento, essa maneira será a neoglicogênese acarretando perda de massa muscular.

Assim, a única maneira de corrigir ou “compensar” um erro (ou um período de erros) é voltar a ter, o mais rápido possível, uma alimentação equilibrada.

Não se corrige excessos com excesso de restrições e sim com equilíbrio.

Texto escrito pelo médico nutrólogo Dr. Ricardo Borges

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *