Cuidado ao associar alcool e corrida

Se Beber não Corra!

Calma, isso não é uma tentativa de promover a abstinência entre os corredores, mas um alerta aos perigos de associar a ingestão de bebida alcoólica e treinos de corrida.

Sabemos que através do princípio de sobrecarga fisiológica o exercício gera uma resposta adaptativa que se refletirá na melhora de nossas aptidões físicas.

Entretanto, quando corremos sob qualquer condição que possa interferir nestes mecanismos adaptativos, estaremos causando uma sobrecarga ainda maior para nosso corpo, culminando em prejuízos para nossa saúde.

O álcool é um exemplo clássico disso.

Quando ingerimos uma quantidade moderada, algo em torno de 3 latas de cerveja ou 3 a 4 taças de vinho ou 3 doses de wisky, o álcool será absorvido no sistema digestivo e cairá em nossa corrente sanguínea a fim de ser metabolizado e finalmente excretado.

Esse processo de metabolização do álcool também representa um stress fisiológico ao organismo e interfere diretamente nas nossas condições físicas durante um simples treino de corrida.

Dentre os diversos efeitos deletérios que a ingestão de álcool pode acarretar em nosso organismo durante a prática de atividade física destaco:

- Deteriorização da função psicomotora: o que acarreta em um gesto mecânico menos eficiente e com maior risco de lesões.

- Diminuição do glicogênio muscular e da glicose sanguínea: promovendo uma queda importante do combustível energético para a realização da corrida e aumentando o risco de eventos de hipoglicemia.

- Alteração da Regulação Térmica: proporcionando maiores perdas de calor e favorecendo perdas importantes de liquido.

- Aumento da perda de liquida pelos rins: o álcool tem ação inibitória no hormônio anti-diurético, aumentando a excreção renal de líquidos. Este processo favorece a desidratação e distúrbio eletrolíticos (perdas de sódio, cloro e outros eletrólitos importantes às funções fisiológicas).

- Aumento do Catabolismo Muscular: acarretando em perda de força, potencia e massa muscular.

- Aumento risco de arritmias cardíacas: favorecendo a disfunções do sistema cardiovascular.

Tenha total consciência do papel do álcool na vida social das pessoas, contudo independente das circunstâncias, sou categórico em afirmar que não se deve treinar em um período menor que 12 a 24 horas (dependendo da quantidade ingerida) pelos riscos que ele pode causar à saúde do atleta.

Por isso, se saiu para jantar com os amigos na sexta-feira à noite e acabou tomando suas 3 taças de vinho, acorde após 8 a 10 horas de sono, tome um belo café da manhã rico em carboidratos, hidrate-se abundantemente ao longo do dia e faça seu treino longo pelo menos 12 horas após o termino de sue jantar.

Fica essa dica para a realização de treinos mais saudáveis ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.