Correr ao ar livre

Estudos têm mostrado que o contato com a natureza pode intensificar os efeitos positivos da corrida 

MESMO quem já se habituou a correr na esteira sabe que o desafio de se exercitar ao ar livre, sentindo o vento e sol no rosto, pode aumentar as sensações de prazer e bem-estar.

Porém, todo mundo concorda que, principalmente nas grandes cidades, é preciso levar em conta os problemas de segurança e o fato de que o deslocamento nem sempre é fácil.

E, muitas vezes, o jeito é optar pela praticidade dos treinos na academia, no prédio ou mesmo em casa.

Ainda assim, estudos têm mostrado que o contato com a natureza faz muito bem tanto ao corpo quanto à mente – e podem intensificar os efeitos positivos da corrida.

ar livre

Pesquisadores da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, trabalharam com dois grupos de 20 voluntários cada um.

Os cientistas pediram aos integrantes da primeira equipe que caminhassem por algum tempo no centro da cidade e aos da segunda por um parque bastante arborizado.

Os especialistas usaram um sistema de navegação e determinaram as rotas a serem seguidas.

Antes e depois do exercício os participantes responderam a avaliações psicológicas.

Foi constatado que quem andou pela área verde não só se mostrou bem humorado, como também apresentou maior capacidade de concentração após o passeio.

Em um teste de memória, lembraram uma vez e meia a mais o número de figuras que lhes foram apresentadas, enquanto que voluntários que tinham caminhado pela cidade melhoraram o seu desempenho em apenas meio ponto.

Para dar um ar mais “saudável” ao ambiente, algumas academias apostam em imagens de paisagens, mas parece que isso não tem grandes efeitos na prática.

Pelo menos foi o que revelou um experimento realizado na Universidade de Washington, no qual foram comparados os efeitos da natureza real com o de paisagens virtuais no alívio do estresse.

As reações de voluntários foram acompanhadas em três situações: em contato com áreas naturais de verdade; ao assistir a cenas de natureza numa grande tela de plasma e ao permanecer de frente para uma parede branca.

Os especialistas queriam saber quanto tempo cada voluntário precisaria para ter os batimentos cardíacos normalizados após passar por uma situação de estresse. Foi comprovado que pessoas em contato com áreas verdes têm maior facilidade para manter os indicadores biológicos equilibrados e também para se recuperar das alterações orgânicas como variação de pressão e temperatura. Ou seja: por mais cômodo que seja treinar indoor, vale se programar para se correr ao ar livre, pelo menos uma vez por semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *