Alternar os tênis de corrida

Você provavelmente já ouviu falar que correr variando dois ou mais pares de tênis ao longo da semana pode reduzir o risco de lesões.
De acordo um estudo você foi informado corretamente porque os corredores que fizeram seus trenos usando vários modelos, em 22 semanas de estudo, tiveram um risco 39 % menor de lesões do que aqueles que quase sempre correm com os mesmos calçados.

Pesquisadores de Luxemburgo reuniram informações sobre o volume de treinamento, a taxa de lesão, o uso de sapatos e outras variáveis de 264 adultos corredores recreativos.

Durante o estudo de 22 semanas, 87 dos 264 corredores sofreram pelo menos uma lesão relacionada à corrida, o que os pesquisadores definiram como “uma dor física ou reclamação localizadas nos membros inferiores ou na região inferior das costas durante ou como resultado da corrida” o que “impediu a atividade de corrida planejada por pelo menos um dia.”

 Dos 264 corredores, 116 foram classificados como usuários de um único tênis.

Os membros desse grupo fizeram 91% de sua quilometragem usando o mesmo tênis e correram usando uma média de 1,3 pares de calçados durante o experimento.

Os outros 148 foram classificados como usuários de múltiplas pares de tênis.

Esse grupo tende a ter um tênis ‘principal’, que era usado em uma média de 58% da quilometragem, mas havia um rodízio entre cerca de 3,6 pares de tênis durante os treinos realizados ao longo do estudo.

Analisados os resultados, os pesquisadores descobriram que os corredores que usaram vários pares de tênis tiveram um risco 39% menor de lesão durante as 22 semanas da análise em comparação com aqueles atletas que corriam com um único tênis.

Os pesquisadores revelaram que o resultado pode ser explicado porque quem corre variando o tênis distribui as forças de impacto de maneira diferente, diminuindo assim a pressão sobre uma determinada parte do corpo.

144

Pesquisas anteriores já haviam mostrado, e os corredores sentiram intuitivamente, que fatores como altura da entressola e da sola do calçado e a firmeza geram diferenças na mecânica da corrida como comprimento da passada e tempo de reação ao tocar no solo.

De acordo com os cientistas “o uso concomitante de diferentes pares de tênis de corrida irá proporcionar alternância no padrão de execução da marcha e variar as forças externas e ativas na parte inferior das pernas durante o treino.

Se a redução no risco de lesão pode ser atribuída a alternância de características de tênis diferentes, tais como densidade de sola e estruturas geométricos, isso não pode ser determinado a partir destes resultados e merece uma investigação futura.”

Além disso, os pesquisadores também descobriram que os corredores que relataram a prática de outro exercício (cross-training) além da corrida, tiveram uma menor incidência de lesões.

“A variação dos tênis e a participação em outras atividades esportivas são as estratégias que conduzem a uma variação de cargas internas e externas aplicadas ao sistema músculo-esquelético que poderiam ter um efeito benéfico sobre o risco de lesões de corrida.

Embora seja de caráter especulativo, pode ser que qualquer paradigma de treino que que limite repetições em excesso diminui o risco de lesões de corrida, as lesões por ovetraining, especialmente” , escreveram os pesquisadores.

 A pesquisa foi publicada no Scandinavian Journal of Medicine & Science in Sports.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.