Alimente os músculos

Com certeza você já ouviu a expressão: “para correr é preciso ter pernas”.

Mais precisamente, é fundamental que seus músculos estejam fortalecidos

para diminuir o risco de dores, ferimentos e, claro, melhorar o rendimento.

Afinal, essas estruturas controladas pelo sistema nervoso são as responsáveis

pelas contrações que produzem o movimento – e nos permitem correr.

Por isso é tão importante exercitá-las com a prática de musculação.

Além disso, o que comemos pode ser muito útil para o fortalecimento da massa muscular.

Quando desprezamos a importância de uma dieta adequada, saudável e variada,

sentimos os efeitos negativos na pele. Ou melhor: abaixo dela.

O consumo exagerado ou equivocado de carboidratos, por exemplo,

pode ser um problema na hora da corrida.

Para garantir o bom desempenho é fundamental recorrer às proteínas,

que têm o importante papel transportar nutrientes para os diversos órgãos,

além de contribuir para a formação de novas células e acelerar a regeneração,

o que garante a cura de microlesões

(ocorrem normalmente quando praticamos atividades físicas).

Mas nem só a proteína animal é importante.

Claro que frango e cortes magros de carne vermelha são importantes,

porém a inclusão de outros alimentos “menos óbvios”

para esse objetivo, mas bastante eficientes.

alimentos1

 

Arroz com feijão

A combinação é bem brasileira, para muita gente tem gosto de infância,

mas com o hábito de comer fora de casa, em muitos casos o bom e velho “arroz com feijão”

virou raridade no cardápio – o que é uma pena para nossa saúde,

já que a associação dos dois alimentos é considerada excelente,

uma vez que os aminoácidos do feijão se unem aos do arroz, formando proteína.

E consumidos assim, juntinhos, eles são mais saudáveis que separados,

transformam-se em fonte de carboidrato e ajudam a reparar os músculos.

 

Iogurte natural

Prático e refrescante, o alimento funciona como fonte de proteína,

principalmente se for consumido logo depois do exercício,

pois é justamente nesse momento que o organismo mais aproveita os nutrientes

para a reconstrução e o fortalecimento da musculatura.

Uma colher de chia ou linhaça e um pouco de mel tornam o iogurte ainda mais funcional.

Cientistas da Universidade de Washington, comprovaram que que combinar

proteína e carboidrato de digestão rápida é 40% mais eficiente na recuperação

e desenvolvimento do músculo que a proteína usada isoladamente.

Por isso, queijo branco com fatia fina de goiabada também pode ser uma boa opção.

 

Brócolis

Uma pesquisa desenvolvida pela Universidade da Carolina do Sul, nos Estados Unidos,

revelou que ingerir uma porção de brócolis, um vegetal rico em vitaminas antioxidantes,

em pelo menos uma das refeições diárias ajuda a prevenir aquelas dores musculares

que costumam incomodar após treinos e provas.

Substâncias como betacaroteno e luteína, presentes em grandes quantidades nos brócolis,

combatem radicais livres, que prejudicam as células.

 

Azeite de oliva

O hábito de consumir todos os dias azeite de oliva

(de preferência extra virgem) aumenta a energia,

o vigor e a resistência celular, retardando o processo de envelhecimento muscular.

As gorduras monoinsaturadas e os polifenois presentes nesse alimento

agem sobre o tecido muscular, impedindo sua oxidação.

Além disso, é importante para a diminuição da presença

do chamado colesterol ruim colesterol ruim (o LDL).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *